Quero começar esse post dizendo: não subestime os seus sonhos, nem os sonhos de Deus para você, lute por eles! Há quase 1001 dias eu colocava na minha lista de 101 coisas que queria conhecer outro país, outro item era participar de um congresso de arquitetura, era realmente um desejo, mas eu não fazia ideia de que pouco tempo antes da meta eu conseguiria realizar e logo os dois de uma vez! 

Contarei aqui no blog, em algumas partes, a história da minha viagem à Argentina para participar de um Congresso de Arquitetura! 
Esse foi o XXXVI Encuentro e XXI Congreso ARQUISUR, organizado pela Asociación de Facultades y Escuelas de Arquitectura de Universidades Públicas del Mercosur, e aconteceu na FAUD da Universidad Nacional de San Juan UNSJ, na Argentina.
Vou começar pelo comecinho e contar o máximo de detalhes possível, me acompanha?! 

Parte da equipe reunida comemorando a exposição do painel

Em 2015 em meio a uma greve da Universidade, eu recebi uma ligação, era meu amigo Igor me convidando para desenvolver um projeto junto com uma galera interdisciplinar. A ideia era participar das audiências da prefeitura que estavam discutindo o novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano da cidade de Salvador, o PDDU, que traça diretrizes em todos os setores da capital , como transporte e habitação por exemplo, e tem impacto direto na vida da população. Há alguns anos um PDDU tinha sido elaborado e votado na calada da noite, sem nenhuma participação popular. O novo prefeito criou um slogan de participação, mas na real não convidava de fato a população para participar e muito menos os jovens, os maiores interessados no futuro da cidade. 
Nosso projeto "Ciclo de Oficinas - PDDU e eu com Isso?" foi baseado em apresentar aos estudantes do ensino médio o que é o PDDU e elaborar junto com eles propostas para apresentar a prefeitura. Tivemos o apoio constante e orientação do querido Professor Urbanista João Pena da UFBA. 

Fotos do Ciclo de Oficinas e audiências em 2015

Este ano, novamente Igor, viu a oportunidade de mostrar nosso projeto ao mundo participando do congresso ArquiSur 2017 e nos inscreveu! Para a nossa alegria fomos indicados como uma das duas equipes representantes da FAUFBA à premiação na categoria projeto de extensão! 
Recebemos então a notícia de que o painel com o nosso projeto seria exposto durante os três dias de evento lá na Argentina nesse congresso que reúne dezenas de universidades públicas do Mercosul! 
Daí foi dada a largada para uma missão... "Se nosso projeto estará lá, nós também estaremos e viveremos essa experiência"! 
E começaram as lutas para arrecadar dinheiro. Solicitamos auxílio à universidade de diversos modos, fizemos vaquinha online e circulamos um livro de ouro em vários lugares, andamos bastante, falamos bastante e de pouquinho em pouquinho conseguimos verbas para que seis membros da equipe pudessem participar do evento! Saiu até matéria em um jornal da cidade! Com muita ajuda, tanto financeira quanto de incentivo moral, conseguimos alcançar esse sonho que sonhamos juntos e pudemos viver dias incríveis ao lado de muita gente especial! 

Nosso livro de ouro e documentações para o evento

As passagens foram compradas com menos de uma semana de antecedência e com isso uma corrida foi travada pra deixar tudo organizado até o dia do embarque! Para que a viagem de avião saísse mais barata optamos por ir para Córdoba 
(a volta também teve que ser do mesmo modo e assim ficamos em Córdoba alguns dias, mas esses já são detalhes para outro post)
de lá pegamos um ônibus na rodoviária, 8 horas de viagem, até chegar em San Juan! Tivemos mais de 3 horas de atraso no vôo, pensamos que não conseguiríamos pegar o ultimo ônibus que sairia às 23hs, para garantir a chegada um dia antes do início do congresso, mas conseguimos! E chegamos bem!
Um cachorrinho muito simpático até nos fez companhia da rodoviária até o hotel! Esse foi só o início de uma incrível experiência de muito aprendizado e crescimento! 



O nosso quarto foi o localizado no terraço do hotel, um hotel simples mas de funcionários super simpáticos e acolhedores! Por ser no terraço tivemos um privilégio de uma vista linda em todo amanhecer e em todo anoitecer, pois de dia contemplávamos as montanhas e a noite admirávamos a lua! 




Me acompanha nessa aventura? Ainda tem muito mais para contar! 



P.S: As frases destacadas e clicáveis em rosa te levam para outros posts aqui no blog sobre o assunto ou para os sites oficiais como o do Congresso, por exemplo. 
P.S²: Os próximos posts terão muuito mais fotos! 



Estou sentada na varanda de casa abraçada por muitas cores, mas numa intensa predominância de verde e azul.
Hoje cedo, numa conversa rápida, falei do meu apreço pela beleza simples da natureza que nos brinda com a lua, as borboletas e as folhas. Quando eu digo simples é apenas para demarcar que não é raro de encontrar, basta olhar para nos depararmos numa imensidão de beleza apenas passeando num pequeno jardim ou correndo os olhos num vaso florido, é nisso que a natureza se faz simples e bela. No mais, cada traço dela carrega a complexidade do Amor que a criou. 
Depois dessa conversa o dia encantadoramente se reverteu de buzinas e motores para brisa e luz. No caminho de volta para casa pude notar ao menos duas folhas bailando ao se deslocar do seu galho natal até a terra no chão; uma árvore frondosa de copa com tons outonais contrastando com sua vizinha esverdeada e o céu azul...
Notei ainda o cantar de no mínimo sete espécies diferentes de pássaros, ao menos três deles me presentearam com sua presença tanto próxima quanto fugaz; um mico atravessou a calçada num pulo a poucos centímetros do meu rosto. A vigia da rua disse que ele se assustou comigo, e é bem capaz. Ora, os meus cabelos indicam uma presença de leão, criatura muito maior e mais forte do que o tal mico assustado, mas nem por isso minha risada foi inibida.
Reparei ainda nas folhas que se moviam quase em câmera lenta sob o efeito da brisa suave que pairava sobre elas.  E então, o relógio me aponta para o melhor momento do dia, segundo os fotógrafos, e para a melhor hora para se estar vivo, na visão de um amigo sonhador.
Meus olhos também estão repletos dessa visão, pois me sinto agora maravilhosamente viva. 
Acolho e abraço as cores de hoje e o coração transborda agradecimento ao verdadeiro Amor.
Por mais dias assim!



P.S: Esse afastamento prolongado não me faz bem, não foi planejado e não houve um dia sequer que eu não quisesse estar aqui, só que eu simplesmente não consegui, talvez algum dia escreva sobre o que andei sentindo. Mas olha eu aqui de volta depois de alguns meses! Esse mês o blog completa um ano e as comemorações serão no comecinho de setembro. Aguardem que vem muita coisa linda por aí! ♥ Obrigada você que acabou de ler por estar aqui! Te convido a me visitar mais vezes, prometo voltar logo!  

Eu gosto de gente que clica em "amei" e faz aparecer um coraçãozinho ao invés de um "legal" no Facebook. Gosto porque elas me fazem sorrir com esse gesto mínimo de deslizar um pouco mais o dedo na hora do clique demonstrando algum interesse a mais do que um clique mais rápido.
Mas olha que louco isso! Estou falando que gosto de pessoas pelo que elas fazem na internet, não há contato físico ou som, é só imagético, é virtual.
Corrijo então a minha colocação e digo que essa é uma das inúmeras formas de me fazer encantar por uma pessoa.  O que eu gosto mesmo é de abraços quentinhos como o Olaf.


Gosto mais de olho no olho e sorriso no sorriso. Mas isso não me impede de me acarinhar e de fazer carinho online. Tem tanta gente nesse Brasil gigante que eu queria ter pertinho, mas as condições geográficas nos impedem por ora. Torço pra que um dia a gente possa se encontrar, mas enquanto ele não chega eu me contento em abraçar e ser abraçada por palavras. De um calor que se transmite pelas fibras óticas da banda larga e chega até o meu computador com 15" no monitor. 
Faça sempre questão de encontrar quando for possível, não adie o passeio, não desmarque aquele café no fim de tarde. E como diria Thiago Brado em sua canção de amor sobre as Verdades do Tempo:
"Passado não volta, futuro não temos e o hoje não acabou. Por isso ame mais, abrace mais. Pois não sabemos quanto tempo temos pra respirar" 
Se pode ver hoje, veja hoje. Se não pode crie um jeito de ser visto. Talvez a pessoa do outro lado da tela só esteja precisando que você utilize o botão "amei" no Facebook para iniciar uma conversa e encontrar mais motivos pra sorrir.


P.S: Estava com saudade de escrever sem rascunho. ♥
Se você leu esse texto saiba que do seu modo você está me abraçando e eu posso sentir daqui.

P.S²: A internet me fez conhecer pessoas incríveis uma delas é meu amigo Brunno Lopez que acaba de lançar o seu primeiro EP (tem no Spotify, gente! ♥) . Ele me convidou para fazer parte do vídeo de Pré Lançamento da sua música Nada Igual. Dá uma olhada:

Apareço desengonçada e com camisa xadrez, e também muito feliz por fazer parte desse projeto lindo

O clipe oficial é esse aqui:


Fiquei encantada pela luz do estúdio enquanto Brunno canta. E do close do seu pé mandando ver na bateria



Já parou pensar na importância da música em sua vida? 
A maioria dos nossos momentos tem alguma trilha sonora. Porque sempre vai ter uma música pra nos lembrar de uma época, de uma pessoa, da abertura da nossa série favorita...
E não seria diferente também na nossa vida de oração.
Já dizia o ditado: "Quem canta, reza duas vezes!" Se reza duas vezes eu não sei, mas que é uma intensidade danada, isso é! 
As minhas orações mais intensas se iniciam a partir de uma canção, seja acompanhada por diversas vozes na missa, em eventos da igreja, ou no grupo de oração, seja no meu quarto cantarolando sozinha enquanto as notas invadem o ambiente através da caixa do som do computador, ou ainda caminhando por aí e ouvindo as playlists no fone de ouvido (ôh, Deus sabe o quanto já conversamos por aí caminhando). 
Eu sinto como se as canções me abraçassem e me levassem para um lugar melhor, pra mais perto de Deus! 
Estou falando principalmente das músicas religiosas, na igreja católica por exemplo temos cantores e ministérios com músicas belíssimas, assim como tem músicas muito lindas em outras igrejas! Até algumas músicas seculares conseguem fazer isso comigo as vezes. 
Vocês sentem o mesmo que eu a respeito da música? Conversam com Deus a partir de canções? Qual a sua favorita?
Semana passada eu fiz essa postagem no Facebook: 


Recebi diversas respostas, a maioria das músicas foram religiosas, mas tinham outras que não são, mas falam igualmente de Jesus. Consegui montar uma playlist bem legal, você pode conferir clicando ► (aqui) ◄♫♪

Gosto muito de cada uma e conheci várias lindas com essa playlist, mas hoje o meu top 3 é esse:


 
Ao Teu Encontro - Eliana Ribeiro part. Thiago Brado

Foi por Você - Anjos de Resgate

Ninguém explica Deus - Preto no Branco part. Gabriela Rocha

Eu acredito num Deus vivo, que se fez homem, sofreu como nós e por nós e venceu a morte para nos ensinar sobre o verdadeiro Amor! 





Hoje começa a semana em que aquela historia completaria quatro anos. E fazem três meses que eu não escutava uma das minhas bandas favoritas. Mas olha só, deu a maior vontade de ouvir hoje, agora. Então, eu dei play no disco da capa verde e vim escrever essas palavras. Para minha surpresa e agonia, a primeira música que o Spotify me apresentou foi a que eu mais evitei durante esses noventa dias. Meus amigos se divertem com minha cara porque agora escuto sertanejo universitário com uma frequência muito louca, tô até gravando os nomes das duplas, isso porque as letras eu já gravei. 
Mas a música que costumava ser nossa eu não ouvi em nenhum desses dias, mas hoje estou mais leve, absurdamente leve, e consigo ouvir tranquilamente, e até com fones de ouvido. 
Do lado de cá não existe saudade. Deveria? Eu não sei. 
Não ouvi aqueles acordes específicos porque eu precisava de um tempo só pra mim, de páginas que não tivessem a escrita de ninguém além da minha. E pretendo continuar assim por um bom tempo, esse bom é uma categoria que não sei se significa dias, meses ou anos, o próprio tempo se encarregará de dizer. As vezes eu paro em silêncio olhando os registros imagéticos e imaginando as história vividas em cada hoje daquele. Não me arrependo de nenhum e sou bem feliz por isso. Se já não formamos o casal que costumava enfeitar os sofás dos amigos e tirar os suspiros mais simpáticos dos que passavam por nós, não há problema, porque o tempo que nos cabia foi muito bem vivido. Foram anos coloridos com a maioria dos meses ensolarados, ofuscados apenas por pancadas de chuva, mas até delas conseguíamos tirar arco-íris se olhássemos juntos na mesma direção pra conseguir enxergar. 
Hoje eu ainda não estou pronta pra te ver presente nos meus círculos de amizade e é por isso que tenho feito novos círculos e isso está sendo ótimo. 
Estou cercada de novos olhares e com eles consigo me enxergar como nunca antes havia feito. 
Mas isso não quer dizer que eu nunca mais possa ser sua amiga, é aquela coisa de que o próprio tempo se encarregará de dizer. Tadinho do tempo, já está cheio de serviço! Mas oh, não tenho pressa, Sr. Tempo. Se ajeita daí, que eu me ajeito de cá.
Para encerrar o papo digo pra você que está lendo, seja lá qual for sua história de vida. Existem dias bem bonitos e também os dias tristes, feios e doloridos. Os dias tristes jamais apagarão o brilho dos felizes, porém sejam os dias felizes ou tristes, eles nunca poderão se repetir. 
Então viva, viva intensamente cada um dos seus. 
E o que isso tem a ver com o início da história?  Esse é mais um texto sobre final de namoro e sobre um pouco de tudo que isso pode carregar de bom!


Muito obrigada por estar aqui, pessoa linda do outro lado da tela! 
Em breve mudanças por aqui! Jajá gravo um novo vídeo pro canal, e vamo seguindo! \0