Os sonhos muitas vezes se tornam reais...

Fui dormir ontem depois de um dia cheio, cheio de dúvidas, de encontros, de desencontros, de música, de trabalho, de cansaço e de sorrisos.
Aconteceu que no meio da noite resolvi acordar para tomar um copo de leite, achei estranho porque não costumo fazer isso, tenho sono de pedra não levanto nem se tiver acontecendo um terremoto.Mas naquela noite tudo começou a ficar diferente e na hora eu não dei a mínima importância, tomei meu leite e voltei a dormir.Algumas boas noites de sono tem o poder de transformar a vida de qualquer pessoa.
Quando acordei a casa estava silenciosa, nada do costumeiro barulho de colheres mexendo nas panelas, ou liquidificadores misturando ingredientes para o almoço, tudo era um silêncio só. Como estava muito estranho resolvi averiguar, encontrei minha mãe na porta de casa batendo papo com a vizinha da frente dizendo algo parecido com: "como o tempo passa rápido", cumprimentei as duas com um "bom dia!" e perguntei o porquê do silêncio em casa, em resposta ela me perguntou se eu não lembrava que hoje era quarta feira de cinzas e que era costume em casa fazer jejum.
Num espanto tremendo eu me retirei sem dizer uma só palavra, como aquilo era possível? Ontem era 18 de junho e como hoje pode já ser algum dia de abril? 
Perguntei diversas vezes para minha mãe se aquilo não era brincadeira, mas em resposta eu só tinha a pergunta: " Ficou doida menina? Claro que o tempo está correndo normalmente!". Que o tempo estava correndo eu sabia, o problema era que aquilo não tinha nada de normal. Fui encontrar com meus amigos na praça, onde costumamos nos reunir para papear, e todos me olharam com caras estranhas, como se eu tivesse cometido algum crime. O único crime que eu posso ter cometido é o de não ter visto o tempo passar, eu já estava ficando louca, e mesmo sem saber o que fiz de errado pedi desculpa a todos os meus amigos, e depois de algum tempo me ignorando eles resolveram me "aceitar de volta".
O tempo não é como um balanço que vai e volta, ele é muito mais complexo e nessa viajem só temos a ida, ele não volta por mais que o nosso desejo seja o contrário.
Perder a minha vida, os meus amigos para o tempo estava sendo a pior condenação possível para o crime que eu não sabia quando e como tinha cometido. Andei por ruas estranhas encontrei pessoas mais estranhas  ainda e ao passar por um parque resolvi parar e sentar num balanço,para lembrar do tempo em que minha única  preocupação era voar alto demais e cair tão longe, que não conseguisse voltar pra casa.
Acordei!
Julia minha amiga, você acredita que até agora eu não sei se o que acabei de te contar foi mesmo o sonho que tive ontem ou a lembrança de algo que ainda nem aconteceu?
Mas de uma coisa eu sei, eu sou muito feliz por estar vivendo o hoje e por ter pessoas como você para me ouvir depois de uma noite turbulenta.

P.S. Texto Ins'pirado em um sonho de meu amigo Bruno, que não tem medo de sonhar!

Um Comentário

  1. Oi, tudo bem?
    O Refúgio das Palavras começa 2012 com grandes novidades e vim lhe convidar para conferir.

    http://iasmincruz.blogspot.com/2012/01/novidades.html

    Tenha um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita \0/. Participe da melodia, comente e me diga o que achou, sua opnião é SUPER importante!!!