Nem nos seus sonhos mais secretos, 
nem nas entrelinhas das suas histórias, 
ele se esbarraria no seu ombro.
Estavam ali "face to face" nada de redes
era real, era físico, ela sentiu, ele gelou.
Rápidas palavras, sorrisos amarelos, partiram. 
-
Eram outros corredores, mas estavam lá 
os sorrisos largos foram inevitáveis, second chance.
redes trocadas.
-
Quiseram fugir, impossível, o acaso ou sei lá o quê
os arrastou sozinhos para o mesmo hotel
quartos vizinhos, olhares no saguão, chaves...
Um recado na saída, com seu vermelho favorito.
Ultima vez que se viram. A marca beijada ficou com ele, o prazer com os dois. 

4 Comentários

  1. Ei Dêdê! <3
    Que saudade eu tava daqui.
    E de você. ♥

    Fico sempre suspirando com seus escritos cheios de doçura!
    Amo essas histórinhas de conhecer, sabe?

    Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *___* eu tbm tava com saudades suas e do Protododia, Nana!!!
      Obrigada pelo carinho de sempre,
      abraço!!!

      Excluir
  2. Respostas
    1. num é que é mesmo, MF?! srrsrsr
      Abraço!

      Excluir

Muito obrigada pela visita \0/. Participe da melodia, comente e me diga o que achou, sua opnião é SUPER importante!!!