Ela, em seu bosque, é muito além do que imaginam as mentes que todos os dias se esbarram com ela na cidade, entre as ruas e esquinas. E por falar em imaginação... aquele bosque é apenas dela, dela e de quem ela convida para um chá e também do seu corajoso e peludo amigo. A moça do jeito meigo e aprendiz de fada só  não ganhou ainda o título oficial, pois ainda não lhe concederam  suas asas cor púrpura, mas ela se arranja com as transparentes que sempre surgem quando entra no bosque.
Não a interessa o tempo ou as horas, se acaso sentir o aroma das flores amarelas é certo que sairá de onde estiver, chamará por seu amigo, e passeará por seu bosque horas a fio até seus pés cansarem e os vagalumes anunciarem o raiar de uma nova noite. De noite a menina não passeia no bosque, ela prefere enxergar direitinho o que a mãe natureza gentilmente permanece a oferecer dia a dia. Faro pra noite tem apenas o seu amigo peludo, esse enxerga a qualquer hora do dia, com aqueles olhos fundos e melancólicos, mas ele prefere apenas acompanhar a menina e assim, da mesma forma que ela, opta por não passear a noite.
A menina conhece lugares naquele bosque, que são capazes de transformar qualquer sonho em instante infinito, a menina conhece lugares capazes de colorir os dias mais sombrios, ela só não conhece um lugar capaz de abrigar por lá todos que ela conhece ou que um dia vier a conhecer, ela só sabe que lá é um lugar bom, muito melhor do que qualquer encantamento da cidade, mas lá não cabe todo mundo. Os pensamentos da menina são enormes e sua força com eles é muito grande também, mas ela só vai conseguir criar um bosque maior e fazer caber todos lá dentro, quando esses todos pensarem um pouquinho do jeito dela... agradecendo o aroma das flores, enfeitando com sorrisos os dias sombrios, abraçando seus amigos peludos, enfim, sendo um pouco fada. Enquanto as outras pessoas não forem um pouco assim, a menina continuará a visitar o seu bosque apenas com poucas companhias, aquelas que compartilham do seu jeito de olhar o mundo, mas ela acredita que um dia o bosque estará repleto e assim mais flores poderão florescer.

P.S: A moça que inspirou esse conto foi a Hadassah do blog Senhorita Inconstante, ela sempre faz postagens com imagens lindas, que sempre me inspiram. Hoje, inspirada nessa fotografia, que vocês viram no início do post, resolvi deixar minha mente completamente livre viajando na fotografia e na música que ela usou no post. Daí surgiu esse continho, que acaba de virar mais um dos meus xodós. É muito bom passear pelo blog da Hadassah sempre saio de lá mais leve, que tal fazer isso também?! Garanto que irá curtir!!! 

6 Comentários

  1. Lendo esse texto (lindo, por sinal) eu lembrei da Chapeuzinho Vermelho. Sei lá, essas coisas de bosque, de ter algo além das trilhas... Bonito demais.

    Beijo Deise.

    www.fernandaprobst.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem algo de fantasia né?! interessante você ter lembrado da chapeuzinho! E que bom que gostou Maria \0/

      Excluir
  2. É quase um spam:

    passando só para comunicar que saiu a continuação do blog-novela: Meias Verdades #002

    Beijocas,
    MF.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsrsr que spam nada, adorei a notícia!!
      Beeijo!! ^^

      Excluir
  3. Ando precisando de um bosque desses, onde possa ir além da realidade e buscar um equilíbrio.
    Lindo Deise. :D

    Beijo meu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que todos nós precisamos de um bosque desse, Aninha, nem que seja pequenininho dentro da gente pra recorrer, quando precisar, certamente você tem ele aí, é só procurar direitinho, rsrsr
      Fico feliz que gostou!!
      Beijo!

      Excluir

Muito obrigada pela visita \0/. Participe da melodia, comente e me diga o que achou, sua opnião é SUPER importante!!!